A CIDADE

Peso dos tributos assusta consumidores

Não há quem não fique surpreso com o peso dos tributos nos produtos que consome. Nos dias 2 e 3 de maio, quem visitou o Feirão de Impostos, montado na Praça Padre Matheus, local de grande circulação de pessoas em Santo Antônio de Jesus, não se conformava com a fatia mordida pelo Fisco "Para onde vão esses impostos todos? Eu sabia que pagava imposto, mas não tanto", disse a dona de casa, Georgina Maraux Rocha, de 73 anos. Ela ficou surpresa em saber que numa simples lata de óleo tivesse 40% de imposto. . O Feirão do Imposto foi uma iniciativa da FCDL com a CDL de Santo Antônio de Jesus. 

            Outra indignada era a agente comercial Rita de Cássia Fraga, que também não sabia que sobre uma lata de extrato de tomate havia mais de 36% de tributos. "Uma lata de extrato custa no supermercado R$ 2,25, quando o valor real é de R$ 1,43. São R$ 0,82 a mais no preço. Imagine quanto não pagamos numa simples compra de supermercado? Se houvesse benefício para a população seria até justa a cobrança", questiona. Tanto a dona de casa Georgina Maraux quanto Rita de Cássia concordam que o feirão de Impostos serviu para conscientizar o consumidor sobre o quanto pagam de impostos.

            Para o vendedor ambulante José Soares da Silva um litro de cachaça não custava tanto. Porém, um litro da destilada custa R$ 3,65. São 83,07% de carga. Sem o imposto, José Soares pagaria R$ 0,62. "Nossa! São R$ 3,03 a mais? Não sabia. E por que tanto assim?", pergunta. Visitantes do Feirão de Impostos ficaram boquiabertos com o que pagam de impostos. Uma das pessoas que passou pelo local foi a recepcionista Liliam Ferreira Lima, que ficou indignada pelo valor de uma TV de 20". "Sem o imposto custaria R$ 298,84. Acrescidos de R$ 183,16, ou seja, 38% a mais, pagaria R$ 482. Fiquei indignada com as altas porcentagens", disse.

O Feirão de Impostos impressionou os santoantonienses, pois além da exposição de produtos, preços e tributos, os organizadores recolheram assinaturas da população. O abaixo-assinado deve reunir milhares de assinaturas e será enviado ao Congresso com o objetivo de conseguir o direito do consumidor em saber os impostos sobre mercadorias e serviços. Isso para que cada produto tenha o valor do imposto em percentual cobrado sobre o valor real. "É um absurdo a quantidade de impostos que pagamos sobre bens e serviços sem que tenhamos consciência disso", disse a professora Regina Nascimento.

Para o presidente da Associação Comercial e Industrial de Santo Antônio de Jesus (Acisaj), Joel Lessa, o apoio dos lojistas pela aprovação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, já entregue ao Congresso Nacional, prevê a cobrança de um imposto único. "Isso para as empresas que tiverem faturamento de até R$ 3 milhões e 600 mil por ano, ou seja, R$ 300 mil por mês. Por exemplo, educação é essencial. Não deveria ter tantos impostos. Este imposto único irá substituir todos os impostos do Município, do Estado, da União e Previdência por parte da empresa", salientou.


© 2017 Associação Comercial e Empresarial de Santo Antônio de Jesus-BA . All Rights Reserved.